quarta-feira, 29 de agosto de 2007

"É fome, senhor."

image by mojalewastopa

é jovem demais o tempo para tanto peso de mau futuro carregar. e no entanto é esse tempo que me bate à janela. baixo. baixo. num timido gesto de ninguém rejeitar.

a cadela corre para mim em ladrido insistente. será que sabe, será que sente?

não silencia até eu ir abrir. o jovem-tempo não.

cedo demais para tanto pesar nos olhos que me fitam por trás das grades que, antes de mim, alguém quis nas janelas.

aprisionada no conforto de um lar sem fome ainda, pergunto: como vai?

responde agradecendo o que não recebeu. desculpa-se. treme. dou-lhe um cigarro. acalma. conversamos um pouco.

- não tem um comprimido. um só para eu dormir uma noite sossegado. oiço rádio até amanhecer. não sei o que é dormir. há tantas noites já!

- jantou?

- hoje já. sim. - sorri e agradece mais.

publicito-lhe o médico de familia e dou-lhe um calmante leve.

- entenda. disto eu não volto a dar-lhe.

para dentro de mim penso no que trazer quando for às compras do indispensável, já a contar com ele.

- vou ao médico, vou. tenho direito. tenho lá o cartão.

o meu irmão... disso já lhe falei. desculpe. não que eu lhe tenha raiva. não é isso. ele até me ajudava... mas ir assim para Angola sem sequer um abraço. a gente pode não se voltar a ver.

- não pense nisso agora.

- não. mas era só um abraço...

a fome, que hoje por acaso não tinha, ele suporta. já o abandono...

sinais dos tempos.

o verbo haver tem muitas mais formas de se conjugar que qualquer outro que aprendi na escola.




* à memória do meu Pai que me ensinou a repartir o pão e o sorriso sem medo que se esgotem e um dia não venham a bastar-me a mim. obrigada, Paizinho!

4 Comentários:

Blogger aramis disse...

Que bem descrito este momento de partilha!
Muito bom Madalena.
Beijos


("Roubei" um poema teu para o meu blog, não resisti, e hoje veio a condizer...está nevoeiro.)

17:04:00  
Blogger poetaeusou . . . disse...

*
fome, de tudo,
embutido,
neste tempo ...
,
ji
*

00:02:00  
Blogger Teresa Duraes disse...

gostei bastante desta partilha de texto

bom fim-de-semana

17:44:00  
Blogger gabriela r martins disse...

ao fim da rua ,virei a esquina e ao entrar no beco ,verifiquei que a conhecia de antanho ... a conjugação do verbo repartir em todos os tempos e modos

- presságio ou premonição? -

augúrio ,responderam.me os deuses.

01:25:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial